REIS Das ruas

PADRE JULIO LANCELLOTTI

Não é preciso ter qualquer envolvimento com religião para reconhecer no Padre Julio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, os valores mais nobres – pautados na defesa incansável dos direitos humanos. Como ele diz, a esperança de um mundo melhor está na luta, na resistência. 

 

Reconhecido por sua atuação há décadas junto à população vulnerável e marginalizada da capital paulista, coroamos, carinhosamente, o Padre Julio e seus companheiros e companheiras de rua, como reis e rainhas. Subvertemos a coroa.

Em tempos tão nebulosos como o que estamos, Padre Julio, pedagogo de formação, nos ajuda a lembrar que "o amor é uma aprendizagem diária'', como ele diz.

PADRE JULIO APOIA

Ajude a População de Rua!

 

Veterano com uma vida inteira dedicada às causas sociais, Padre Julio Lancelotti, por meio da Paróquia de São Miguel Arcanjo, oferece ajuda à população em situação de rua em São Paulo.

 

No início da pandemia, para enfrentar a lentidão dos poderes públicos, o Pe. Julio lançou a campanha “Adote uma família“: quem tem condições de ajudar assume a diária de hotel para uma família sem moradia, que assim também poderá ficar em casa e se proteger da Covid-19.

PADRE JULIO LANCELLOTTI

Ativista e defensor incansável de direitos humanos, coroamos, carinhosamente, o Padre Julio Lancellotti e seus companheiros e companheiras de rua, como reis e rainhas. Subvertemos a coroa.

Reconhecido internacionalmente por sua atuação junto à população em situação de rua e outros grupos vulneráveis da sociedade, Padre Julio, aos 73 anos, coordena a Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, e mantém ativa a luta por uma São Paulo menos desigual. Como ele diz, a esperança de um mundo melhor está na resistência. Na década de 1990, fundou as Casa Vida I e II para acolher crianças portadoras de HIV, mostrando seu pensamento progressista frente aos tabus que definiam a aproximação do tema com a igreja católica. 

 

Em tempos nebulosos como o que estamos, nosso Rei das Ruas, que é pedagogo de formação, nos ajuda a lembrar que "o amor é uma aprendizagem diária'', como diz.

 

Como Gilson já declarou nas diversas entrevistas que tem dado sobre a situação da favela, Paraisópolis precisa de ajuda para conter duas pandemias: a do vírus e a da fome. 

 
FUNDO%20SITE_Prancheta%201_edited.jpg

depoimentos

Paulo Escobar

00:00 / 02:22

Valéria Jurado

00:00 / 01:44